Tradição dos maios à porta

Hoje é, segundo uma tradição já bastante antiga, dia de colocar um ramo de “maios” à porta, ou seja, de fazer um ramo de giestas em flor e colocar às portas das casas, na noite de 30 de abril para 1 de maio, na chegada do mês de maio, daí o nome “maios”.
👉Diz esta tradição que ao colocar os ramos de giestas em flor às portas das nossas casas estamos a afastar o mal. Este costume de pendurar raminhos para afastar o mal, o mau-olhado e os maus espíritos, na viragem de abril para maio é mais caraterístico das regiões do Norte, e sobretudo no Minho. Contudo, são várias as tradições associadas ao começo do mês de maio, que é celebrado de variadas formas dependendo das regiões, e não unicamente com esta tradição dos maios.
👉Todas estas tradições terão na sua origem uma tradição pagã que se fundiu com o cristianismo, a exemplo de muitas outras. Assim, o colocar estas marcas nas portas fica assim relacionado o episódio bíblico da fuga para o Egito. Na perseguição ao Menino Jesus, em fuga para o Egito, Herodes terá apelado a que quem soubesse em que casa de determinada aldeia se encontrava a pernoitar Jesus colocasse um ramo de giestas na porta, para que os soldados identificassem onde se encontrava e a essa morada se dirigissem. Contudo, quando os soldados chegaram à tal aldeia depararam-se com todas as portas marcadas com ramos de giestas floridas, não sendo possível encontrar Jesus e impedir a sua fuga para o Egito. Esta foi a tradição que vingou, sobretudo no Minho.
👉Seria, ainda assim e na sua origem pagã, uma forma de iniciar o mês de Maio celebrando a fertilidade e a abundância da natureza que o avançar da primavera traz consigo, despedindo-se do inverno e pedindo a proteção das culturas que cresciam nos campos. O celebrar destes aspetos era muito comum entre os povos pagãos, que se caraterizavam por variados rituais agrícolas relacionados com diferentes períodos do ano, como era o caso do nosso território. O próprio nome “maio” tem na sua origem a deusa Maia, deusa romana da fertilidade.
👉Com esta mesma giesta que cresce nos montes e bermas dos terrenos e estradas eram feitas as vassouras de giestas, muito comuns nas nossas terras para limpezas sobretudo exteriores, como por exemplo para varrer as eiras e os celeiros.
𝐄 𝐯𝐨𝐜𝐞̂ 𝐣𝐚́ 𝐩𝐫𝐨𝐜𝐮𝐫𝐨𝐮 𝐚𝐬 𝐠𝐢𝐞𝐬𝐭𝐚𝐬 𝐞𝐦 𝐟𝐥𝐨𝐫 𝐩𝐚𝐫𝐚 𝐨 𝐬𝐞𝐮 𝐫𝐚𝐦𝐨🤔?
Imagens:
-Portas com giestas floridas;
-Terreno com giestas em flor;
-Tradicional vassoura feita com giestas secas.
 

Calendário de Eventos
Julho 2022
DSTQQSS
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31
Informações Úteis
O Tempo
Farmácias
Hospitais
Bombeiros
Serviços

Contactos

Outeiro Maior

Rua Aldeia Nova, 417

4480-330 Outeiro Maior

Tel. +351 252 653 099

Fax +351 252 653 099

executivo@uf-bagunte-ferreiro-outeiro-parada.pt

Bagunte

Rua da Igreja, 98

4480 -214 Bagunte

Tel. +351 252 652 107

executivo@uf-bagunte-ferreiro-outeiro-parada.pt

Ferreiró

Largo Trindade, 75

4480-250 Ferreiró

Tel. +351 252 657 636

executivo@uf-bagunte-ferreiro-outeiro-parada.pt

Parada

Avenida do Monte, 149

4480-340 Parada

Tel. +351 252 657 635

executivo@uf-bagunte-ferreiro-outeiro-parada.pt